Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Na Rádio USP, Candido lembrou os primeiros anos da USP
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Na Rádio USP, Candido lembrou os primeiros anos da USP

  • Publicado: Quarta, 25 de Julho de 2018, 09h54
  • Última atualização em Quinta, 26 de Julho de 2018, 15h57
Em entrevistas nos anos 90, professor fala dos docentes franceses, da ditadura militar e de outros temas

Por - Editorias: Cultura

 

Em 1990 e 1992, a Rádio USP (93,7 MHz) transmitiu duas entrevistas com o professor Antonio Candido (1918-2017), que nesta terça-feira, dia 24 de julho, faria 100 anos. Realizadas pelo jornalista Marcello Bittencourt, as entrevistas foram apresentadas numa série de programas intitulada “Esta é a USP”.

Nelas, Antonio Candido – que estudou na USP entre 1939 e 1942, formando-se em Ciências Sociais – relembra a atuação dos professores franceses que formaram os primeiros quadros docentes da Universidade, fundada em 1934, entre eles Paul-Arbousse Bastide, Jean Maugüé, Fernand Braudel, Pierre Monbeig, Roger Bastide e Claude Lévi-Strauss.

O professor Antonio Candido – Foto: Francisco Emolo / Arquivo Jornal da USP

Para Candido, a importância da chamada “missão francesa” se deve principalmente ao “espírito” que aqueles docentes transmitiram. “Devemos a alguns desses professores franceses a descoberta do Brasil”, afirma Candido. “Vivíamos tão impregnados de cultura francesa, na classe média brasileira, que às vezes conhecíamos melhor as coisas da França e da Europa do que as coisas do Brasil. Eles levaram seus estudantes a  se interessar por temas como o problema do negro, o problema do caboclo, o crescimento das cidades brasileiras, o pobre em São Paulo, as zonas de colonização do Paraná e as formas de ocupação de terras nos empreendimentos agrícolas, por exemplo.”

O professor Antonio Candido durante o Congresso de Ensino Rural. realizado em São Carlos (SP), em 1950 – Foto: Arquivo de família

Nas entrevistas, o professor fala ainda do clima intelectual da antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCL) da USP – uma “sensação indescritível de estar vivendo uma grande aventura cultural” -, da repressão instaurada pela ditadura militar (1964-1985), da criação do Suplemento Literário do jornal O Estado de S. Paulo – concebido por Candido – e ainda da bem-humorada troca de correspondência, em português arcaico, com o historiador Sérgio Buarque de Holanda.

 

Ouça nos links acima trechos das duas entrevistas concedidas pelo professor Antonio Candido ao jornalista Marcello Bittencourt.

Fonte: Jornal da USP, 23/07/2018
Disponível em: https://jornal.usp.br/cultura/na-radio-usp-candido-lembrou-os-primeiros-anos-da-usp/

registrado em:
Fim do conteúdo da página