Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Soldados do Araguaia estreia na Mostra
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Soldados do Araguaia estreia na Mostra

  • Publicado: Quinta, 26 de Outubro de 2017, 14h14
  • Última atualização em Quinta, 26 de Outubro de 2017, 14h14

"Somos uma nação que produz silêncio, ao contrário de outras sociedades, como a argentina e a chilena, que também viveram ditaduras militares e trataram desse tema de forma aberta." A afirmação do diretor Belisário França, feita após a estreia do documentário Soldados do Araguaia, na noite de terça-feira, 24 de outubro, na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, reforça a tendência à naturalização de acontecimentos trágicos, como a tortura no período militar brasileiro.

O documentário, de 2017, reconstitui a história de oito ex-militares da região do Araguaia, recrutados para lutar contra um grupo de guerrilheiros do PCdoB, espalhados em uma área que se estendia por diversos municípios e vilarejos do sudeste do Pará. A história desse grupo, de baixa patente, chegou até o diretor na época em que ele estava produzindo seu trabalho anterior - Menino 23 - em grande medida por conta das ações fomentadas pela Comissão da Verdade, que buscou reconstituir parte da história não revelada do período de ditadura.

"A maior dificuldade foi romper o silêncio desses homens, criando condições para que eles se sentissem à vontade e estimulados a falar. À medida que convencíamos um, provocávamos os outros para que eles também aceitassem o convite para participar do filme. Vários, no entanto, preferiram não falar", comentou França após a estreia. "O Brasil, e a mídia inclusive, têm uma tendência a esconder o passado, apegando-se à ideia de 'vamos olhar para a frente', o que se reflete na aceitação de um terrorismo de Estado que continua presente hoje, na abordagem da polícia a supostos criminosos, na tortura nas cadeias, algo que nos impede, como sociedade, a produzir justiça", acrescentou o diretor.

França também revelou que o material colhido pela equipe continha ainda mais relatos de ações de barbárie praticadas nesse episódio - contra os guerrilheiros e contra os próprios soldados. "Muitos desses elementos foram deixados de lado, na montagem, porque nós não estávamos interessados no escândalo, mas em chamar a atenção para esta história."

Soldados do Araguaia terá mais duas exibições durante a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Confira aqui

Fonte: Cinema em Cena

Disponível: http://cinemaemcena.cartacapital.com.br/noticia/ler/5670

registrado em:
Fim do conteúdo da página